Meditação Matinal

28 de julho Quinta

Por que Preciso de Fé?


Então perguntou aos Seus discípulos: “Por que vocês estão com tanto medo? Ainda não têm fé?” Marcos 4:40

Às vésperas de um projeto do Unasp voltado para os índios carajás, tive que fazer um voo de Goiânia a São Félix do Araguaia num monomotor Cessna. Era um avião pequeno com capacidade para cinco passageiros, mais o piloto. O avião, que já havia perdido a cor original, lembrava uma sucata de guerra. Os flaps estavam remendados com fita-crepe e o plástico dos bancos estava desgastado. As letras com as indicações de comando estavam apagadas pelo uso. Como passageiro de verdade, apenas eu; os outros dois eram a esposa e a filha do piloto. Diga-me, nessa hora, se você fosse o passageiro, confiaria no avião ou no piloto? Naquele momento, um dos objetos da minha fé (o avião) não era o mais confiável.
A vida é uma série constante de atos de fé. Torcemos a chave da ignição e o carro funciona. Mesmo sem entender a caligrafia do médico, confiamos que ele está nos receitando o remédio certo. Depois, o farmacêutico entra nos fundos da farmácia e traz o remédio que acreditamos vai nos fazer bem. Quando atravessamos uma ponte, acreditamos que ela vai nos sustentar.
Possivelmente, não haja palavra tão falada no meio religioso do que esta palavra pequenininha: “fé”. Peça a dez pessoas uma definição de fé, e conseguirá dez respostas diferentes. Isso significa que elas estão erradas? Não necessariamente. Significa apenas que a fé que cada pessoa tem é uma mistura de sua história de vida, de sua experiência religiosa, de sua personalidade, e outras mil e uma dimensões que nos fazem únicos e diferentes uns dos outros.
A fé é relacional. Há sempre outra pessoa na fé. Deus diz: “Saia dos seus limites e se aproxime de Mim.”
Pode ser que depois de termos estado na presença de Deus, saiamos sem uma resposta às nossas orações. Porém, podemos ter certeza de que Ele continua ao nosso lado, mesmo sem nos dar o que pedimos. Você mede sua fé ou sua vida religiosa pelo número de orações atendidas? Você confia nas orações ou no Deus que ouve as orações? Da mesma maneira, você concordará também que o importante não é o tamanho da fé em si, mas o Deus em quem confiamos.
O educador e orador Patrick Overton disse: “Quando você chega ao fim de toda luz que conhece, e está para dar um passo na direção das trevas do desconhecido, fé é saber que uma de duas coisas acontecerá: ou haverá onde pisar, ou você será ensinado a voar.”
“Senhor, aumenta-nos a fé.”

%d blogueiros gostam disto: